5 de ago de 2007

Um árabe na Inglaterra




No Brasil sempre fui brasileiro. Às vezes pouco carioca, às vezes pouco curitiboca, mas brasileiro. Aqui começo a perceber que sou árabe. Quem me disse isso foi uma criança árabe de pousocs anos, com o sorriso. Olhou para mim e sorriu gostoso. Numa terra de caras tão frias, e sorrisos irônicos, foi um tuntun em meu cérebro. Será que aqui terei um novo label? Um novo rótulo? Graças a minha camiseta, descobri que não... estava eu com o escrito Brasil no peito, e isso muda muito. Todos perguntam, brasileiro?, e abrem o sorriso. Viva o samba, o futebol e todas as outras coisas dai que eu nunca aprendi a fazer com maestria.

Supermercados ainda são um mistério. Rótulos e mais rótulos. Uma coisa é certa: a comida internacional aqui não é como no Brasil. quem gosta de comida mexicana ai gosta dela um pouco mexicanizada. Aqui ela é toda. É incomível volta e meia, tal como a indiana ou a tailandesa... enlatados a la Brasil, nenhum por enquanto. Já sei de 5 brasileiros na cidade, e parece que tem um Carnaval uma vez por mês... o que será que vai sair dai de dentro não sei, mas eu vou no próximo.

Leeds está me comprando barato. Sol e sol depois de sol. Vou viciar e acreditar que todas aquelas lendas sobre Inglaterra nublada são invenções de piratas. Péssima notícia: na universidade proíbem p2p. Acabou disco grátis e qualquer programa a qualquer tempo. boa notícia, descobri algo que se chama p2s, peer 2 speaker. Vale a pena instalar... vc escuta o cd no computador de outro. Não há download, é legal, e tem uma bela coleção a se quiser experimentar. tá ai o link (http://baixaki.ig.com.br/download/P2S.htm)

Acima você vê a primeira foto da Dilícia, minha colega de quarto que apresentarei um dia. Ela é tímida, estamos apenas nos conhecendo melhor. Ela gosta de fotografia, eu sou fotógrafo, estamos felizes dividindo o quarto. Quite a view, isn't it? (que beleza de vista, não?)

Good smash the potatoes!~fabro














Nenhum comentário: