27 de nov de 2007

coelinho, cavalinho, cobrador

Vamos aos poucos atualizando blog. Tem novidades de York, Leeds e Salamanca, mas como dira Jack o stripador, uma coisa por vez.

Primeiro, o André confessou que nunca le meu blog. Entao vou deixar aqui um bilhete para ele. Quem ver isso, e contar para ele, por favor diga assim: "o fabro escreveu no blog dele que você 'e meninha", e pode aumentar como quiser. Está tu procurando oportunidade para "abencoar" a figura, poe na minha conta, e manda bala. Eu vou fazer diferente, vou dizer que ele ta bem, bonitao, feliz, conhece bons lugares, 'e camarada (sem trocadalhos....) e um amigao. Mas se voce indicar ele para vir aqui, por favor, diz que eu mandei dizer que PIIIIIIIIIIIIIIPOROROCOCO. Elaine, ajuda ai!

Vamos a primeira noticia: todo cobrador 'e filho da PU** em potencial, isso 'e senso comum. Conhecem a piadinha? Todo dia um muleque pegava o busão para ir para escola (que seja o 175 na praia do botafogo, ou o interbairros II na puc, ou o vila madalena laranjao, ou o higien'opolis lotacao, tanto faz...). Ele entrava, e ao passar pelo cobrador, falava com voz doce: "se meu pai fosse um coelho, e minha mãe uma coelha, eu seria um coelinho....". No dia seguinte, vinha com uma nova "se meu pai fosse um cavalo, e minha mãe uma égua, eu seria um potrinho"... e na mesma semana já inventava outra "se minha mãe fosse tartaruga, e meu pai um tartarugo, eu seria uma tartaruguinha...". Não agüentando mais o pentelho fazendo a mesma piada todo dia, o cobrador foi delicado e perguntou: O Muleque, se tua mãe fosse uma puta, e teu pai a porra dum viado... [responde o menino graciosamente...] "eu seria cobrador..."

Olha, ta pra nascer gente mais filha da PIIIIIIIIII que motorista de ônibus na Inglaterra. E o motivo 'e simples: em geral eles são, alem de drivers, cobradores.... Mas não adianta culpar pai e mãe por essa falta de respeito. Na cadeia deve ter gorila mais manso que aos que me refiro. Exemplifico para não ficar na vã filosofia:

1. chega o busao, o motorista abre o bagageiro, e sobe no veiculo. As pessoas, velhos, idosos, crianças e refugiados de guerra ali, se matando para tentar colocar tudo no único porta-malas que o viadinho abriu. Quando não cabia mais nada, nem que deus acuda, percebo que o do lado esta vazio, ai me dirijo à fechadura do cujo. O gentil cavalheiro, filho da referida mãe graciosa, desce do ônibus e ao invés de ajudar, fica na frente do porta-malas. E diz, fofinho: "fico aqui para que nenhum engraçadinho tente abrir o que não 'e permitido". Fala isso com ar de rei e rainha, as 7 da manha, com uma fila de gente esperando para botar mala no bagageiro. Ainda de bom humor, olho para ele com aquela minha cara de doce-barbaro cujos olhos dizem "voce viu que ta tudo lotado"? Ele da uma olhada de canto, xinga a pessoas que não sabem arrumar as malas, abre a porta que eu queria abrir, entra, puxa as malas do fundo mais pro fundo, sai, fecha a porta e olha com cara de "se vira malocada!". Sobe no ônibus. Eu coloco a mala do meu amigo, e vou subindo na lotação quando o primogênito de la puta madre que lhe pariu indica que eu devo colocar minha mala la embaixo... Ela era PEQUENA, mas não teve jeito. Desci, coloquei a mala, e subi com sono, para não mandar o trouxa catar coquinho na Croácia.

2. Outro motorista, com genes de cobrador, soma-se a este em outra historia. Estava eu apertado para tirar água do joelho e vou ao fim do ônibus, no toilet (toalete brasileiro com lugar de mijo). A luz não acende. Procuro interruptor, e nada. Tento de tudo. Poxa vida, eu sei como encontrar o meu abençoado no escuro, mas e o medo de sem querer pisar em cima dele? Ou pior, fazer um Z de zorro na parede do toalete quando o bendito passa na lombada? Vou ate o motorista, e pergunto como acende a luz. Ele me manda ficar quieto, e sentar. vendo que eu sentei, e me calei, ele me olha e diz: Poe o cinto. Meu senhor, você pode ser uma graça, mas eu tenho mais o que fazer ale de puxar papo com gente de sua genética. Da para responder como acende a luz do banheiro? Olha, diz a gra'ca abençoada de la puta madre, se tiver acessa, ta acessa. senão, não ta. e ai? mando a merda? Ia mandar, mas tava de cinto e antes que eu mudasse minha cara fofinha uma senhora sentada do outro lado me olha e diz: tem celular? Nossa.... mulher pensa em tudo. A luz da minha vida a nokia proveu, e meu joelho, se esvaziou. O motorista, claro, deve estar nessas horas batendo chifre no bagageiro.

3. Outro caso: pergunto para outro descendente... tem vaga no ônibus para embarcar agora? ele responde com filosofia... veja que bonito: olha, se tiver tem, senão, não tem. Tostines a mente do sujeito! Que bom que ele é apenas a pessoa com a lista de passageiros na mão. Eu poderia perguntar pro paulo coelho, pro papa, pro cachorro viralata na porta da estação, para palomita em busca do resto do pão na estação mas não, tinha que escolher logo o tão ocupado motorista para saber de uma informação alheia ao seu job description informação... provavelmente foi birra minha!

4. tem mais e mais e mais... mas para contradizer a teoria, na volta para leeds peguei um cara bem humorado, piadista, pedindo moeda em alo som para levantar o portao da garagem automático, contando vantagem da vida e rindo do engarrafamento... 'e ... Darwin, a genética 'e s'abia: por vezes, at'e mesmo filho de pai e mãe de ornitorrinco pode nascer unicórnio.

fabro

Um comentário:

andre disse...

viado, eu li.